Postagem em destaque

Corpo e pensamento

Demócrito de Abdera sobre a felicidade da moderação

Sábio é quem não se aflige com o que lhe falta e se alegra com o que possui. (frag. 231)
 A moderação aumenta o gozo e acresce o prazer.(frag. 211)
 Os insensatos desejam as coisas ausentes, mas desperdiçam as presentes ainda que mais valiosas que as passadas. (frag 202)
 É preciso reconhecer que a vida humana é frágil, pouco duradoura e misturada com muitos cuidados e dificuldades, para que haja preocupação por uma posse moderada e a labuta se meça pelas ne- cessidades de cada um. (frag. 285)
 As coisas de que o corpo precisa estão à disposição de todos facilmente, sem pena e sofrimento; tudo quanto precisa de pena e sofrimento e toma dolorosa a vida não é o corpo que deseja, mas a má constituição do pensamento. (frag. 223)
Os insensatos, que querem uma vida longa por temerem a morte, vivem sem alegria uma existência inteira como se já fossem doentes.
(Argumento reconstituído dos fragmentos  199, 200, 201, 203, 205 e 206)

Nenhum comentário:

Postar um comentário