Postagem em destaque

Corpo e pensamento

Lucrécio sobre fugir de si mesmo.

Sai muitas vezes dos grandes palácios aquele a quem estar dentro é insupor-tável; de súbito volta, sentindo que fora também não está nada melhor, corre depois para sua casa de campo, galo-pando veloz, como se fosse socorrer num incêndio: mal pisou no portão, boceja de imediato e então volta apres-sado à cidade. Assim, cada um foge de si, mas não pode fugir. Preso a si contra sua vontade, odeia sua situação. Se refletisse bem, abandonaria tudo mais e se dedicaria a conhecer a natureza das coisas. (De rerum natura III 1060-1075)

Nenhum comentário:

Postar um comentário